jun 07

Dourados – MS, 03 de Outubro de 2009 (Sábado).

Eu, aflito e angustiado como nunca havia ficado, em um momento que Jesus me lapidava distante de minha família que eram meus únicos amigos e refugio. Acordei com um aperto muito forte no coração, e como eu já sabia que existia uma casa da toca em Dourados, parecia que Jesus me falava, "você sabe onde me encontrar, levanta!". Levantei, me vesti e sai sem saber nem mesmo que horas eram. Avistando a casa pude sentir que realmente Jesus me queria aqui. Somente Jesus me conhecia nesta casa, fiquei por volta de três ou quatro minutos rodeando o portão, com vontade mas sem coragem para entrar, foi quando o primeiro anjo apareceu com vestis marrom (Silvana), e com um sorriso lindo me acolheu dizendo um simples "oi", eu perguntei se o Santíssimo estava exposto, ela respondeu que não sabia mas que eu podia entrar, a partir dai percebi que Jesus realmente havia me levado até ali. Entrando no terreno da casa, procurei pela capela, andando, um dos irmãos acolhidos chamou minha atenção apontando para capela, voltando meu olhar para o local indicado, vi o Santíssimo Sacramento vestido de ostensório, brilhando, sorrindo e me abraçando. Neste momento só conseguia ver Jesus, eu não queria saber de mais nada, apenas me entreguei. Com o olhar fixo no Santíssimo, parecia que minha vida passava entre mim e o Senhor, então pude ver o quanto era miserável e o quanto fui infiel ao meu Senhor, vi também que quem me segurou o tempo todo foi Ele. Jesus me trouxe em um lugar onde sou apenas o Maicon, onde não coordena nada, onde não canta em nenhum ministério de musica ou banda, onde não é filho de ninguém ou irmão de alguém, onde eu não era referencia para ninguém. Saindo da capela após alguns minutos, eu ainda gostaria de falar com alguém, pedir oração, mas foi em uma ótima conversa com outro anjo (Larissa) que estava adorando no momento que eu estava na capela que me confortou e me deu animo para mais um dia. Ao passar dos dias fui conhecendo outros anjos, que me ajudaram a estar mais próximo do céu. Obrigado por permitirem fazer parte desta família por alguns instantes, obrigado por me ajudarem a dar mais um passo importante na santidade. Maicon Tropiano.

mai 17

Neste meu primeiro post vou resumir pouco de minha carreira profissional, dos caminhos e estratégias que tomei para chegar onde estou. Hoje não sou plenamente realizado em minha carreira, mas já conquistei muito e por isso algumas pessoas mais próximas a mim que não conhecem o caminho árduo que fiz acha que foi tudo muito fácil, acha que minha família é bem financeiramente, que não é verdade. Minha família nunca passou por necessidades estremas, sempre tivemos o necessário para bem viver. Desde que entendi o valor do dinheiro quando ainda criança com uns 7, 8 anos, sempre busquei meios para adquiri-lo, mas nunca sem a supervisão de meu querido pai que me ensinava a ser honesto. Nesta idade eu queria dinheiro na verdade para consumir o que toda criança gosta, doces e brinquedos. Meu pai foi me mostrando o que era conquistar algo honesto aos poucos com pequenas coisas. Ao invés de meu pai me dar uma mesada do nada, ele pedia para eu e meu irmão realizar simples e pequenas tarefas, como lavar o quintal, ajudar minha mãe nos serviços de casa e engraxar suas botinas de couro. Lembro que o que mais dava dinheiro era engraxar as botinas, eram cinco reais por par engraxado, eu engraxava dois pares, isso quando meu irmão não engraxava primeiro todas, ai eu ficava chupando dedo. Lembro que com 12 eu e um amigo apanhávamos todos os limões maduros do pé de limão cravo que tinha no quintal de minha casa, os colocava em uma carriola e saia vendendo para vizinhança e bares do bairro. Nesta mesma época comprávamos velas para vender no cemitério em dia de finados. Sempre procurando qualificação fiz um curso técnico de telecomunicações em 1998 e logo consegui emprego em uma pequena empresa que desenvolve produtos eletrônicos onde fiquei dois anos. Sai para trabalhar em uma multinacional dando manutenção eletrônica em maquinas selecionadora de grãos onde fiquei um ano, fui dispensado por que era honesto e não queria roubar, em outro momento conto isso mais detalhado. Em 2003 mudando de ramo por não ter outra opção, consegui emprego em uma grande rede de livraria em um shopping, iniciei como fiscal de loja, fiscal de loja é um nome bonitinho para segurança de loja... rss, em dois meses passei para vendedor, mais três meses passei para caixa, coisa que alguns funcionários demoraram um dois anos para chegar. Consegui tudo isso porque queria o melhor, queria chegar ao topo. Neste tempo um amigo que trabalhava com desenvolvimento de software me ofereceu um “estagio” para aprender a programar. Como eu já tinha interesse nesta área e eu não trabalhava no período da manha eu aceitei. Iniciei estagiando sem ganhar absolutamente nada, passando dois meses percebi que não estava aproveitando nada do tempo para aprender, e não estava produzindo nada, fiz a proposta para diretor da empresa, de ficar em tempo integral e assim sair da livraria onde tinha relativamente um bom salário, ele me ofereceu sessenta reais para trabalhar de segunda a sexta das 08h00 as 18h00 horas, mas me prometendo que após alguns meses ele reveria meu salário a partir da minha produção. Após uns oito meses de aprendizado e ótima produção pedi revisão do meu salário, após rever e ele passou a me pagar oitenta reais, passando mais seis meses, pedi mais uma revisão e passei a ganhar cento e cinqüenta reais. Depois de dezoito meses na empresa eu estava produzindo como gente grande, já não tinha o porquê continuar naquelas condições, sem registro e um salário digno, procurei o diretor e rele reconheceu o meu trabalho e me registrou com quinhentos reais. Afinal havia me sujeitado a ganhar praticamente nada para aprender uma profissão e era um dos funcionários que mais produzia. No mesmo mês me inscrevi no curso de sistemas informatizados em uma faculdade, o meu salário era a mensalidade do curso, pensei da seguinte maneira, estou há quase dois anos sem ver dinheiro, ficar mais um tempo não vai ser difícil. Neste meio tempo fiquei sabendo por um amigo que uma empresa do mesmo ramo precisava de um funcionário com as minhas qualificações, com pouco tempo de trabalho e em processo de aprendizado. Procurei esta empresa e logo fui admitido, no mesmo mês que inicie nesta empresa ganhando setecentos reais, tambem iniciei minha faculdade. Só de ter conquistado um cargo em outra empresa e iniciado minha faculdade já foi uma grande vitoria, pois meu pai não tinha condições de bancar minha faculdade. Um mês depois que me formei, resolvi me aventurar mais um pouco, me lancei no mercado de trabalho a procura de novos desafios, pois eu estava relativamente pronto para eles. Conheci outras empresa, outros problemas, outras realidades, cresci muito com tudo isso, cresci profissionalmente e financeiramente, posso dizer que ganho bem fazendo uma comparação a maioria das pessoas regionalmente. O segredo de tudo é confiar em Deus, ser honesto, verdadeiro e humilde, traçar um objetivo e se lançar, trabalhar muito, às vezes não ganhar nada, muitas vezes se humilhar. Nunca guarde pra você o aprendeu, sempre ensine, esteja sempre ponto a ajudar.