mai 18

Sobre Técnica vocal e autoconhecimento. Desde 1991 oriento coralistas, cantores, em grupo ou individualmente, no treinamento técnico vocal.

Observando as centenas, talvez milhares de pessoas que já orientei, pude verificar que o aprendizado do canto é um excelente meio de aquisição de autoconhecimento.

Vejamos: cantar é uma atividade física. Toda atividade física combina força muscular e coordenação motora, que se desenvolvem com repetição e investigação de si mesmo através do maior número de sentidos possíveis que a percepção corporal puder acessar. Desta investigação diária de si mesmo, da ampliação da consciência corporal que temos de nossas funções como um todo, podemos deduzir que cantar é desenvolver autoconhecimento.

Toda e qualquer pessoa que canta é única. Sua voz é dela e somente dela. Sua identidade vocal é resultado de um processo único de desenvolvimento desde a vida intra-uterina até o presente momento. De forma que o “jeito” de cantar ou falar de um indivíduo é a sua técnica vocal, intransferível, individual e única.

Desenvolver técnica vocal é identificar em sua própria voz: nuances, qualidades, potenciais, vícios, recursos, características, dificuldades, tudo o que possa estar diretamente relacionado à voz para, em seguida, desenvolver controle do que for identificado, harmonizando este controle aos objetivos finais que se deseja alcançar. Outra visão sobre o que é desenvolver técnica vocal é a de potencializar o que você é, desenvolvendo recursos (tudo o que você faz e não consegue não fazer). O resultado será uma excelente voz para cantar ou falar. Estas definições identificam a técnica vocal de um individuo como única, intransferível, impossível de ser transmitida, podendo ser referência somente para ela própria.

Cada indivíduo tem a sua técnica vocal, nunca a técnica vocal de outrem, da mesma forma de que cada indivíduo é ele próprio e nunca outrem. Um professor de técnica vocal, portanto, não ensina sua própria técnica vocal, mas aprende a técnica vocal de seu orientado e o ajuda a desenvolvê-la. Em outras palavras, o professor “aprende” o aluno para orientá-lo. Quando um professor de técnica vocal impõe ao seu aluno recursos e procedimentos, este pode prejudicar seu aluno ao invés de ajudá-lo. Tais recursos ou procedimentos podem não se adequar à realidade do corpo do aluno, como uma roupa que não lhe serve.

Os recursos e procedimentos para se cantar ou falar bem devem ser desenvolvidos a partir do que o aluno possui, do seu corpo, do que ele é. Desta forma, qualquer pessoa pode desenvolver imensamente sua voz. Por outro lado, na tentativa de realizar ações corporais inadequadas à sua realidade corporal, o aluno apenas encontrará frustração e sofrimento e, em casos extremos, pode adquirir sérios problemas vocais tais como calos, fendas, nódulos e assim por diante. Por outro lado, o professor que observa atentamente seu aluno, identificando seus potenciais, suas facilidades, suas belezas, este pode, a partir do que percebe do aluno, dirigir seu treinamento para potencializar todos estes recursos, para melhorar o que o aluno é e já faz.

Eu disse recentemente a uma aluna que a todo instante chamava minha atenção para as suas dificuldades.

Um dia, muito carinhosamente, eu disse a ela: ‘eu já ouvi bastante sobre seus defeitos. Fala-me agora de suas qualidades’. Ela não soube o que dizer. Ficou constrangida somente co a idéia de procurar, sobre si mesma, qualidades. Então eu disse: ‘eu não estou interessado nos teus defeitos e dificuldades. Eu quero é conhecer e admirar as suas qualidades. Posso te ajudar a mostrá-las cada dia melhor?’Deste dia em diante as aulas desta aluna mudaram.

Eu poderia continuar com outros exemplos, mas prefiro deixar isto para próximos textos. Quero apenas reafirmar que desenvolver técnica vocal é, sem sombra de dúvidas, um excelente meio de buscarmos autoconhecimento que, por sua vez, é elemento fundamental para auto-superação.